Sorry, this page isn't available for your location.

The page you're viewing is for Portuguese (LATAM) region.

Investors

Sorry, this page isn't available for your location.

The page you're viewing is for Portuguese (LATAM) region.

Corrente de curto-circuito à saída suportável pelo UPS

Mark Silnes •

Corrente de curto-circuito à saída suportável pelo UPS

A corrente de curto-circuito à saída, suportável pelo UPS, se tornou o tópico quente desde 14 de fevereiro de 2016, quando entrou em vigor a emenda A1:2013 à norma internacional IEC 62040-1:2008, com relação aos requisitos gerais e de segurança para UPS.

Esta emenda introduz requisitos específicos para a corrente de curto circuito à saída admissível.  Especificamente, ela força aos fabricantes de UPS a garantir um valor mínimo, dependendo da classificação do UPS, para que os UPS possam ser comercializados.  Fora as implicações práticas geradas por esta emenda, vamos tentar entender o que é uma corrente de curto-circuito e porquê ela é tão importante.

A corrente de curto-circuito potencial é um dado fundamental para projetar sistemas elétricos capazes de assegurar a segurança mesmo nas piores condições de falha. Portanto, para garantir a segurança de todo o sistema, os projetistas precisarão assegurar que a corrente de curto-circuito do UPS seja maior que o nível de corrente de falha do site.  Para alcançar os níveis requeridos de segurança é necessário levar em consideração todos os componentes.

Considerar apenas a corrente de curto-circuito potencial da fonte pode ser penalizante porque a ação de abrandamento realizada pela impedância da conexão entre as entradas da fonte e do by-pass seriam deixadas de lado. Ao longo da trajetória da corrente, entre a entrada do by-pass e a saída do UPS, existem vários componentes e dispositivos pelos quais passa a corrente de curto-circuito. Seu design define indiretamente o limite máximo da corrente de curto-circuito presumida.

Dentre estes componentes e dispositivos podemos citar os cabos, os dispositivos seccionadores, os dispositivos estáticos (chamados SCR devido ao acrônimo de “Silicon Controlled Rectifiers”- Retificadores Controlados por Silício) e possíveis fusíveis.

Os efeitos da corrente de curto-circuito podem ser eletrodinâmicos ou térmicos. Os efeitos térmicos consistem na dissipação de calor sobre os condutores pelo efeito Joule e, como as correntes de curto-circuito são muito maiores que a corrente nominal, o componente sobreaquece e degrada.

Por outro lado, os efeitos eletrodinâmicos são ações mecânicas de atração ou repulsão entre os componentes e são funções do quadrado do pico de corrente. Quando há a necessidade da máxima proteção de dispositivos, é necessário o uso de fusíveis de alta velocidade.  Este tipo de fusível é capaz de limitar o potencial pico de corrente de curto-circuito sempre que ele ultrapassar um determinado nível.

Uma solução válida para atingir um nível mais alto de corrente de curto-circuito é aumentar o tamanho do fusível as custas da proteção do SCR.  Neste cenário, no caso raro de um curto-circuito ocorrer bem na saída do UPS, tanto o SCR como os fusíveis precisarão ser substituídos.

Até aqui consideramos todos os componentes em um cenário de um único UPS. Quanto o sistema elétrico for composto por mais de um UPS, conectados em paralelo, continua necessário considerar a corrente de curto-circuito suportável na saída do UPS, e neste caso a corrente de curto-circuito máxima potencial é igual a 80% do valor de uma UPS única multiplicado pelo número de UPS no sistema em paralelo (sem considerar qualquer redundância).  80% é uma margem de segurança que considera poder haver uma distribuição imperfeita da corrente de curto-circuito devido à assimetrias nas conexões dos equipamentos.

Apenas ao ler a breve explicação acima, fica claro que a correte de curto-circuito suportável por um UPS é um tema complexo, mas é também um tema delicado.

Há muito mais para saber sobre este assunto: se você quiser expandir seus conhecimentos neste tópico, você pode fazer o download do White Paper, preparado por nossos especialistas, clicando neste link.

Conteúdo Relacionado

INVESTORS
Overview

Selecione o seu país e idioma